Body of Proof

Body of Proof é a nova série da ABC que esta sendo exibida aqui no Brasil pelo canal Sony. Assim que estreou eu fiz o download do episódio piloto e gostei. Nada mais, nada menos. O motivo para não morrer de amores assim de cara? Como muitos pilotos, achei tudo muito corrido e sendo assim a Dra. Megan Hunt (Dane Delany), protagonista da série, me pareceu mais uma adivinha do que uma médica legista.
.

Mesmo assim, eu gostei do elenco logo de cara e principalmente da Megan. A história é a seguinte: Megan Hunt era uma grande neurocirurgiã com uma carreira brilhante, só que nem tudo na vida são rosas, então a doutora não tinha muito tempo para sua família e após o divórcio acabou perdendo a guarda de sua filha para seu ex-marido. Então ela sofreu um trágico acidente (um caminhão bateu no seu carro) e acabou ficando com sequelas, suas mãos sofrem de uma certa paralisia que vai e volta. Como não obteve nenhuma melhora Megan trocou de profissão, virou médica legista (como a mesma citou “Não se pode matar o que já esta morto”) e começou a solucionar crimes junto com a polícia.

Logo no primeiro episódio já deu para notar um clima entre Megan e seu colega Peter Dunlop (Nicholas Bishop). Peter também é médico legista e um ex-policial, ele dá alguns conselhos a Megan sobre como se reatar com sua filha. Os detetives de homicídio são Bud Morris (John Carroll Lynch) – que eu achei o mais chatinho, mas que promete muitos conflitos com a Dra. Hunt – e Samantha Baker (Sonja Sohn) sua parceira que ainda não tenho opinião formada. Na parte médica da equipe temos Dra. Kate Murphey (Jeri Ryan) que é a responsável do hospital e vai ajudar bastante a Megan, Dr. Ethan Gross (Geoffrey Arend) é meio atrapalhado e responsável de algumas risadas junto com o Dr. Curtis Brumfield (Windell D. Middlebrooks), um chefe que não é chefe, digamos assim.

Ethan, Curtis, Kate, Megan, Samantha, Bud e Peter. (E-D)

No segundo episódio, que foi exibido ontem pela Sony, conhecemos melhor a equipe e ai sim vou dizer que ADOREI a série com letra maiúscula. A Dra. Megan Hunt é muito carismática, achei uma personagem na medida, nem muito durona, nem muito molenga. Gostei do drama com a filha e os casos policiais são normais até onde eu vi. O melhor foi que as idéias que foram surgindo para resolver o caso não foram absurdas e não mostrou a Megan confrontando os suspeitos, como no primeiro episódio.

Pensei em acompanhar pela exibição daqui, mas curti tanto que vou pretendo fazer uma super maratona logo e comentar mais aqui no blog. O que vocês acharam de Body of Proof? Não é algo inovador, mas mesmo assim não achei massante. Comentem seriadomaníacos.

Anúncios